Embrião, feto ou bebê – o que as mamães carregam na barriga?

Creio que não seja novidade nenhuma que a cada trimestre de gestação os fetos adquirem um tijolinho a mais na construção do potencial humano que se tornarão. É muito claro para as pessoas que todas as substâncias ingeridas pela gestante, afetarão positiva ou negativamente o desenvolvimento do feto, especialmente no primeiro trimestre gestacional. Mas você sabe exatamente porquê? Bem, porque nessa fase o bebê é apenas uma célula; Por isso, ele ainda é tecnicamente um embrião que tem o potencial de se transformar num bebê. Apesar de já ter o status de bebê para os pais desde a sua concepção, o que é maravilhoso!
Aí você pode pensar: ah, mas se ele é só uma célula, porque os efeitos de algo nocivo são tão drásticos? E eu te digo que esse é o ponto exato, a questão é que essa célula única é a base da formação de todo o bebê. Então, qualquer erro genético que ocorra no DNA dessa célula, acarretara um enorme evento de erros em cascata. De modo que todas as outras células do embrião serão afetadas.
Mas vamos considerar que nesta primeira fase da vida do bebê tudo ocorreu bem e ele já é uma pequena porção de milhares de células. É minha gente, não demora muito para que isso aconteça. É bem rapidinho, aliás. Só para vocês terem uma ideia, na 3ª semana gestacional ele já entra na fase de desenvolvimento do sistema nervoso. Esta fase é conhecida como neurulação e é a base para formação de uma complexa rede que dará condições do bebê aprender tudo o que precisará para se transformar no ser humano incrível que todos os pais desejam. E a estrutura é tão complexa que só estará completamente pronta aos 21 anos de idade!
De um montinho de células, ao final do primeiro trimestre o embrião adquire o status de feto e já está praticamente formado. Quando me apresentaram esses marcos do desenvolvimento do feto pela primeira vez, lá no meu segundo ano da minha graduação em Fonoaudiologia, eu fiquei surpresa ao perceber que logo tão cedo na gestação o bebê já estava praticamente formado. Foi quando eu fiquei presente para duas questões.
Não sei se vocês já se depararam com a regra de Pareto, também conhecida como o princípio 80-20, mas consiste da afirmação de que 80% das consequências se originam de 20% das causas. Esse princípio foi desenvolvido por Pareto, um economista e sociólogo italiano, quando percebeu que a distribuição de renda não era uniforme. Pois bem, fui fazer a danada da regra de três e notei que no exato momento em que o embrião passa a ser considerado feto, ele já tem a aparência de um bebê e esse desenvolvimento, digamos, mais bruto, o alicerce da construção humana do bebê, aconteceu em 20% do tempo. Intrigante imaginar que um princípio relacionado a sociologia e economia também poderia ser aplicado à vida humana.
Outra questão que me ocorreu e que estar pipocando na sua cabeça nesse exato momento é: se o bebê já está praticamente pronto em 20% do tempo, pq esperar no útero o restante dos 80% para nascer? Não poderia nascer antes? Aí voltei aos marcos novamente e me deparei com os seguintes dados que mais me chamaram a atenção: na 14ª semana gestacional, o feto começa a treinar movimentos respiratórios; na 15ª, realiza todos os movimentos corporais, equivalentes a um bebê de 9 meses; na 16ª, aumenta os a frequência desses movimentos para ganhar massa óssea e muscular; entre a 16ª e a 18ª semanas e o feto começa a fazer caretas, levantar sobrancelhas e coçar a cabeça. Da 21ª a 24ª ocorre um amadurecimento do sistema nervoso auditivo. Neste momento os bebês, além de ouvir, podem reconhecer a voz materna; Na 24ª semana surge também o reflexo de GAG, uma proteção das vias aéreas do bebê e se parece muito com uma ânsia; entre as semanas 27 a 28 ele passa a fazer mais movimentos com a língua, como o suckling, movimentos transversais, sucção com pausas longas, reflexo de mordida. Todos esses movimentos, todas essas aquisições são preparações para a mamadas. Além disso, já sonham! No entanto, seus pulmões ainda não estão completamente desenvolvidos. Entre a 31ª e 34ª, o bebê já distingue várias vozes e dão indícios de interesse por alguns estilos musicais. Nas últimas semanas de gestação o pulmão do bebê irá amadurecer o suficiente para dar conta da respiração fora do útero, seu cérebro ganha muitas conexões nervosas. O bebê está completamente maduro para o parto, tudo em seu corpinho está no lugar e ele já treinou várias funções primordiais que irão garantir a sua vida fora do útero materno. Agora ele só precisa se posicionar adequadamente para a grande hora! A hora de conhecer os ansiosos papais.
Ufa, são tantas aquisições! Aqui, eu levantei somente as mais marcantes, que chamam a atenção para o fato de que esses 80% do tempo que o bebê passa no útero praticamente pronto (no sentido de já ter a estrutura corpórea de um humano) é usado para que ele amadureça. Ou seja, nesse período, ele irá desenvolver cada partezinha do seu corpinho e praticar todas as habilidades que ele precisa dominar já ao nascimento. Amadurecer significa também dizer que o cérebro do bebê ganhou muitas novas conexões nervosas. Aquele ganho de peso do bebê nas últimas semanas, é exatamente cérebro! Logo, a cada semana que ele passa no útero, ele tem a oportunidade de ganhar quilinhos de massa encefálica e de aprimoramento de todas as outras estruturas do seu corpinho. Um bebê que passou mais tempo no útero, sem dúvidas nasce mais preparado em todos os sentidos para se sair bem no novo mundo.
Bem, se todo o desenvolvimento do feto ocorre no sentido de prepará-lo organicamente para a adaptação fora do útero materno. Então, porque cargas d’água seria uma perda de tempo prepara-lo também para toda a carga cultural que ele encontrará no mundo humano? Quando conversamos, cantamos, contamos histórias ou ouvimos música com o bebê, mesmo ainda no útero, ele já é capaz de captar muito de nossa cultura e quanto mais desenvolvido ele estiver, mais ele tem condições de integrar as suas sensações e responder se movimentando ou se acalmando. Sempre quando interagimos com o bebê, estando no útero ou nos braços, estamos gentilmente oferecendo amostras da nossa cultura. Dê esse carinho para o seu bebê só tem benefícios, é simples, barato, irá fortalecer ainda mais o vínculo entre pais/cuidadores e bebê, além de estimular a inteligência e o desenvolvimento de linguagem do bebê.

APRENDER É DIVERTIDO!

error: Content is protected !!